consulta médica

O que fazer para passar o Refluxo ácido?

Quem nunca comeu demais e percebeu que exagerou após sentir mal-estar? Muitas pessoas sentem um gosto amargo ou ácido subindo pela garganta após as refeições.

Você vai ver aqui:

  1. O que é refluxo ácido?
  2. Causas do refluxo
  3. Sintomas de refluxo
  4. Como é feito o diagnostico?
  5. Melhores tratamentos para refluxo ácido

Para nós entendermos melhor o porquê desse desconforto , hoje nós conheceremos as causas, sintomas e tratamento para refluxo ácido.

O que é refluxo ácido?

O refluxo ácido acontece quando o conteúdo ácido do estômago sobe em direção à boca. Alguns músculos e esfíncteres deveriam impedir a passagem desse ácido para o esôfago. Porém, o funcionamento incorreto deles permite que o ácido chegue onde não deveria. Dessa forma, o ácido pode provocar lesões e dores na parede estomacal.

A inflamação no esôfago depende no nível de acidez do líquido estomacal. Além disso, a quantidade de ácido em contato com o esôfago aumenta a lesão na região. Em casos mais graves, nós podemos desenvolver uma inflamação preocupante nessa região.

A inflamação acontece porque o esôfago tem uma limitação no seu revestimento. Ou seja, ele consegue se proteger dos próprios ácidos, mas não dos ácidos estomacais. Por isso que nós sofremos com desconforto e azia quando descontrolamos o fluxo de ácido estomacal.

Como você deve imaginar, os sintomas de refluxo são muito desconfortáveis. Logo, é importante que nós visitemos o gastroenterologista para indicar o melhor tratamento. É provável que o paciente precise de medicamentos para aliviar os sintomas. Além disso, o médico receitará remédios para diminuir a produção de ácido no estômago.

Causas

Médicos afirmam que o refluxo ácido não possui uma causa definitiva para o seu surgimento. Entretanto, muitas pessoas desenvolvem fatores de risco que contribuem para o problema. Por exemplo, pessoas com relaxamento transitório do esfíncter esofagiano inferior, a causa mais comum do refluxo.

Além disso, pessoas com problemas na anatomia, anormalidades motoras e hábitos inadequados também sofrem com esse mal-estar. A seguir você vai conferir uma lista dos fatores de risco que podem causar refluxo ácido:

– Alguns tipos de remédios usados em excesso, como anti-inflamatórios

– Condições de saúde que limitam as contrações ou saliva do esôfago

– Consumo de álcool em excesso

– Dieta bastante calórica onde o excesso de gordura relaxa o esfíncter esofágico inferior

– Estresse e cansaço frequentes

– Gravidez

– Hérnia de hiato

– Idade igual ou acima de 50 anos

– Pressão reduzida no esfíncter esofagiano inferior

– Uso de tabaco

Sintomas

Segundo médicos, os sintomas do refluxo ácido surgem em questão de minutos ou horas após uma refeição. Dessa forma, é importante que nós percebamos como o nosso corpo reage após refeições fartas. Por isso, preste atenção aos sinais de:

– Arroto

– Azia

– Crises asmáticas ou infecções nas vias aéreas superiores

– Laringite

– Má digestão

– Problemas para engolir os alimentos

– Sensação de que o seu estômago, peito e garganta estão queimando

– Tosse seca que surge após as refeições

– Vômito ou retorno do alimento consumido pela boca

Se você dobra o seu corpo para baixo na tentativa de pegar algo os sintomas vão piorar. Além disso, é normal que a pessoa com refluxo ácido sinta desconforto quando está deitada após comer.

É provável que uma pessoa tenha inflamação na parede estomacal por causa do refluxo constante. A chamada esofagite pode se tornar um câncer caso a pessoa não trate ela de forma adequada.

Refluxo em bebês

Assim como os adultos, os bebês podem sofrer com o retorno de alimentos do esôfago para a boca. Logo, os pais e responsáveis devem ficam alertas em relação aos sintomas do refluxo em bebês. Os sinais mais comuns são vômitos frequentes, problemas para mamar, ganho de peso, sono agitado e laringe inflamada, provocando rouquidão.

Ademais, o bebê pode sofrer com otites causadas pelas inflamações nas vias respiratórias. Em casos mais graves, o bebê pode ter pneumonia por causa da presença de comida nos pulmões. Portanto, os pais devem ser atenciosos na administração de alimentos e resposta dos pequenos após as refeições.

Como é feito o diagnóstico do refluxo ácido?

O gastroenterologista é o responsável por diagnosticar o refluxo ácido nos pacientes. Além dele, o pediatra e clínico geral podem avaliar os sintomas e sinais dados pelo paciente. Eles sempre farão exames para confirmar o diagnóstico do refluxo ácido e a gravidade do problema.

O médico indicará a esofagomanometria e medição do pH no ácido estomacal. Dessa forma, ele terá condições de relacionar os sintomas apresentados pelo paciente à mudança no ácido estomacal. Assim ele pode determinar quantas vezes o refluxo acontece.

Ademais, o médico pode indicar uma endoscopia digestiva para verificar as paredes do esôfago, estômago e começo do intestino. Logo, o profissional terá as informações necessárias para descobrir o que causa esse refluxo ácido no paciente.

Tratamento para refluxo ácido

Felizmente, médicos afirmam que o tratamento para refluxo não é difícil de ser feito. O paciente deve melhorar a sua alimentação em primeiro lugar. Em seguida, ele pode usar o medicamento domperidona para acelerar o esvaziamento gástrico. Além dele, o esomeprazol e omeprazol diminuem o volume de ácido estomacal e antiácidos equilibram a acidez já existente no estômago.

O paciente melhorará bastante com as mudanças em sua alimentação. Contudo, ele precisará de um acompanhamento profissional para fazer os ajustes adequados. Até porque, os alimentos consumidos devem ser bem escolhidos e adaptados aos medicamentos.

Por exemplo, pessoas que fazem tratamento para refluxo ácido devem diminuir o consumo de álcool. Além disso, médicos recomendam que alimentos gordurosos sejam evitados. Ou seja, nada de chocolates, comida industrializada ou frituras. Refrigerantes e cigarros estão fora de cogitação.

Por fim, médicos recomendam que a última refeição seja feita 3 horas antes de ir para a cama. Dessa forma o paciente evitará que o ácido estomacal chegue até a boca.

Sofrer com refluxo ácido após comer bastante estraga o dia de qualquer pessoa. Por isso que nós devemos ter hábitos saudáveis e conscientes em relação à nossa alimentação. Dessa forma, nós evitaremos que problemas maiores comprometam a nossa saúde.

Se você sofre com esse problema, o tratamento para refluxo ácido é acessível e fácil de ser administrado. Ademais, você deve manter hábitos equilibrados que favoreçam o seu bem-estar. Assim, você não transformará o momento prazeroso de comer em um pesadelo.

Referências

  • PUCCINI, Flávia R. S.; BERRETIN-FELIX, Giédre. Refluxo gastroesofágico e deglutição em recém nascidos e lactentes: revisão integrativa da literatura. Rev. CEFAC. Vol 17. 5 ed; 1664-1673, 2015
  • SOCIEDADE PORTUGUESA DE GASTROENTEROLOGIA. Doença de refluxo gastro-esofágico: normas de orientação clínica. 2012. Disponível em: <https://www.spg.pt/wp-content/uploads/2015/11/NOC_drge.pdf>. Acesso em 06 Jan 2021
  • JUNIOR, Luiz João A. Doença do refluxo gastroesofágico. JBM. Vol 102. 6 ed; 31-36, 2014